Monarca Produções Artísticas
A Monarca é uma empresa especializada na criação, elaboração e execução de Projetos e Eventos Culturais.  Está à frente da produção de excelentes artistas gaúchos entre eles: O grupo Shoyu com Banana, a Banda Rock Santo Forte e o artista Oberdã Pires.

Shoyu com Banana
O Grupo nasce da necessidade de continuidade de um trabalho iniciado no curso de Produção Cênica na Faculdade Monteiro Lobato em Porto Alegre, onde alguns alunos (José Renato, Rossano Pio, Renata Zonatto e Leonardo Xavier (Dudu)) ao perceberem suas afinidades de ideias artísticas, confeccionam um vídeo documentário experimental e despretensioso para a disciplina de Elementos Estéticos e Técnicos da Música, o vídeo contava a história de jovens estudantes que procuram o samba em meio ao corre-corre da feira do livro de Porto Alegre e alguns outros pontos da cidade e acabam por encontrar pessoas excêntricas que habitam e trabalham na capital e como cada uma delas percebe a presença do Samba na cidade.
Logo em seguida, com a aderência de Aline Pimentel e José Fagundes (Kabelo) que ao assistirem o vídeo se identificaram com a proposta do grupo, percebeu-se que o grupo poderia muito mais e trabalhou-se sobre a ideia de fazer um curta metragem onde debruçados na construção do roteiro de "Guarda Chuva"(ainda em produção), vislumbrou-se a possibilidade de trabalhar temas mais densos. A historia do curta é sobre uma mulher atormentada por lembranças, após trair o marido com o melhor amigo e esse ter provocado o aborto do filho, fruto dessa relação, com um guarda-chuva velho.
Abriu-se então a possibilidade de fazer a parceria no sentido de utilização de um espaço físico (cedido pela faculdade) para experimentações de teatro e agregou-se ao grupo os demais integrantes que demonstravam interesse na produção de um trabalho voltado a pesquisa e construção teatral.
O grupo participou no mês de outubro do III Festival de Esquetes da CCMQ (Casa de Cultura Mario Quintana), com a montagem dramatúrgica "Histriônicos" criada a partir do poema "O Tempo" de Mario Quintana, o grupo realizou a montagem de uma esquete de 10 mim, utilizando-se das diversas teorias sobre o tempo e suas limitações. A pesquisa para construção deste inicialmente, vinculadas a questões cotidianas, como o uso do tempo e suas implicações, acabou por tornar-se algo existencialmente muito maior e significativo, que rendeu ao grupo ser agraciado com a indicação a uma das seis finalistas e foi agraciado com a utilização do espaço, concedido pela CCMQ, afim de possibilitar ao grupo a continuidade do trabalho e transformar a esquete em um espetáculo.
O grupo vem trabalhando paralelamente as criações cênicas, a participação no curta "Apartamento 625" em fase de edição, que conta com o apoio da CCMQ. E a realização do curta "Baseado em Fatos Reais" em fase de gravação.

Rock Santo Forte

Oberdã Pires